Rio de Impacto: entidades unidas para apoiar negócios de impacto social no estado

Criado por Juliana Oliveira   |  Publicado em 21-09-2017

Rio de Impacto: entidades unidas para apoiar negócios de impacto social no estado

Doze instituições unidas para tornar o estado do Rio de Janeiro um território propício para se iniciar ou crescer um negócio de impacto social e ambiental (NIS). Essa é a proposta do ‘Rio de Impacto’, iniciativa que reúne, desde 2016, o Sebrae/RJ, NESst, Sitawi, Yunus Negócios Sociais, Universidade Santa Úrsula, Benfeitoria, ESPM, Instituto Gênesis (PUC-Rio), Sistema B, Alerj, Vox Capital e Shell Iniciativa Jovem.

Rio de Impacto

Durante o Seminário de Negócios de Impacto – Incluir, realizado nos dias 22 e 23 de agosto, no Rio de Janeiro, foi lançada a marca do ‘Rio de Impacto’, criada em colaboração com a equipe de design da ESPM. Ainda no evento, foram debatidas soluções para os principais gargalos ao desenvolvimento dos NIS no estado.

“Nosso objetivo é buscar soluções para a promoção do empreendedorismo de impacto fluminense. A falta de clareza sobre o conceito de impacto social, o baixo acesso aos investimentos, a ausência de uma legislação específica, além do desconhecimento sobre as instituições de apoio são os principais entraves que encontramos no Rio de Janeiro. Mas acreditamos que podemos superar esses desafios com união e muito trabalho”

garantiu Juliana Oliveira, gestora do projeto de negócios de impacto do Sebrae/RJ

Este ano, o grupo já realizou a “Pesquisa do Ecossistema de Negócios de Impacto Social do Rio de Janeiro” e o “Guia de Bolso Instituições de apoio a negócios sociais do Rio de Janeiro”, ambos disponíveis para download no site: www.negociosdeimpactosebrae.com.br. Para 2018, o ‘Rio de Impacto’ vai atuar em cima planejamento estratégico das ações do grupo para alavancar o setor.

Ainda durante o Seminário de Negócios de Impacto – Incluir, foram apresentados dados do 1º Mapa de Negócios de Impacto Social + Ambiental do Brasil. Divulgado recentemente pela plataforma para empreendedores Pipe.Social, o estudo reúne informações coletadas de 579 entrevistados de várias partes do país. A pesquisa quantitativa apontou o Rio de Janeiro como o estado que possui maior nível de maturidade das empresas formalizadas em comparação com o restante do país.

O Rio também se destaca em alguns aspectos como a tendência para a equidade de gênero nos negócios de impacto; a preocupação com tecnologias verdes; e modelos de negócio que olham mais para o consumidor final, utilizando a venda direta. Outro dado importante é que um em cada dois negócios de impacto no Rio já estão em fase de maturidade.

“O mapa da Pipe será usado como referência para o trabalho do ‘Rio de Impacto’, pois traz diversos indicadores e informações que servirão para nortear nossas ações, criando mecanismos para tornar o trabalho ainda mais assertivo”

concluiu Juliana